segunda-feira, 10 de março de 2008

Alface, carne e outras coisas a mais....

"O resgate da alface no feijão", tinta acrílica sobre papel de algodão.


Certas coisas no mundo estão além da minha compreensão, uma deles é a mania que as pessoas tem de decorar pratos—tais como carnes assadas--- com alfaces. Porque isso deus? Quem teve essa idéia brilhante? Eu, na minha imensa ignorância de decoração alimentícia coloco-me a pensar a lógica de tal pratica.

Carnes assadas podem ser gordurosas, daí as pessoas com a mesma inteligência de sempre (aquela coisa racional de pedir coca diet com feijoada e adoçante no cafezinho depois) pensaram o seguinte ‘ah vou colocar alface pro prato ficar mais leve ai depois o pessoal come junto’. Minha amiga e meu amigo, pseudo chefe de cozinha, quem em sã consciência come aquela alface?? Na maioria das vezes ela fica mole e morna, pois a carne quente sobre ela a cozinha, perdendo toda a ‘graça’ original. É nojento! Fora as vezes que ela não foi seca após ser lavada...ai fica aquele caldo gorduroso boiando sobre a aguazinha no fundo da travessa, formando ‘continentes’...e a alface? Continua em volta, toda ‘desmaiada’, ali ignorada e triste. Chega a dar dó, mas não a ponto de comê-la pra acabar com aquela cena.

Isso poderia ser evitado, usando o seguinte raciocínio: a decoração deve ser feita com coisas que possam ser assadas!, ou seja , alface não!. Decore com batatas, queijos, arroz...sei lá, mas ALFACE NÃO!

Não vou nem citar os casos de decoração de buffets de churrascarias, restaurantes por quilo, self-service, que alem de usar as alfaces, evoluem para flores de tomate, cenoura ralada e ademais vegetais descascados, cortados e montados artisticamente. Ta bom, faz volume e deixa o local com um ar mais requintado (?????) ---é, realmente me sinto em Paris quando vejo um cisne de cabeça de nabo e corpo de melancia, recheado com salada de alguma coisa agridoce.

Vontade de chorar que dá, ainda mais quando sem querer você pega algo para colocar no seu prato---aquele malabarismo imenso com a colher ou garfo, pra não misturar nada no local errado---- e sem querer derruba a decoração. Pronto! Lá se vai a belíssima rosa-de-tomate-com-folha-de-pimentão-verde afundando no meio do strognoff coletivo. Nesse momento existem algumas ações-padrão: você tenta segurá-la disfarçadamente, mas não tem sucesso e ela cai; você tenta resgatá-la do fundo do strogonoff coletivo, em meio a olhares desaprovadores, mas constata que a desmontou por completo quando percebe apenas o palito boiando no meio da carne e molho. É, salvar decorações vegetais sempre é inútil.

Mas agora ainda me pergunto: quem come aquela alface?



***Texto dedicado aos meus caros ''améguenhos'' de viagem à Ubatuba, que compartilharam a sua historia de ''mandioca banhada a óleo'' na orla.Comidas de beira de praia...Coragem!!!

Um comentário:

Loiro disse...

Meu deus...Ubatuba e nossas indagações sobre alface decorativa...ameguenhos d deos...

Jabá do reality Ubatuba:

http://www.orkut.com/FavoriteVideos.aspx?uid=17644657938451781031

bolerage!